DST - Doenças Sexualmente Transmissíveis

 

Essas doenças são transmitidas pelas relações sexuais ou contato com o esperma, secreção vaginal, sangue ou feridas de uma pessoa doente para uma pessoa sadia.

 

Essas doenças podem causa dor nas relações sexuais, deformações dos órgãos genitais, esterilidade, aborto, deficiência mental, nascimento de crianças defeituosas, alguns tipos de câncer e até a morte

Ame-se, cuide-se, proteja-se. Só assim você poderá cumprir bem a sua maior missão: viver e realizar a reforma íntima.

 

Como prevenir

 

- Utilizar a camisinha (preservativo);

- Ter uma relação estável com alguém que conhece bem;

- As mulheres e os homens devem ir ao médico sempre que apresentarem algum sinal ou sintoma;

- As mulheres devem freqüentar o ginecologista  pelo menos uma vez ao ano para fazer os exames Papanicolau e clínico;

- Ter higiene sexual e não compartilhar roupas íntimas;

- Não compartilhar agulhas ou seringas pois algumas DST são transmitidas pelo sangue contaminado.

 

Sinais e sintomas

 

- Feridas ou úlceras com dor ou não;

- Verrugas na região genital;

- Corrimento(no homem ou na mulher). Esse corrimento pode ser de várias cores, desde esbranquiçado até semelhante a pus. Na maioria das vezes vêm acompanhado de cheiro forte e ruim;

- Coceira, dor, incômodo ou ardência ao urinar, ao evacuar ou nas relações sexuais.

 

Como se pode pegar uma DST

 

- Tendo relações sexuais sem preservativo;

- Com vida promíscua com vários parceiros sexuais;

- Compartilhando roupas íntimas com outras pessoas;

- Ter relações sem preservativo com um parceiro promíscuo ou que use drogas injetáveis;

- Compartilhar agulhas ou seringas com outras pessoas.

 

Diante da possibilidade de estar contaminado

 

- Buscar o tratamento médico, seguindo todas as recomendações profissionais;

- Fazer com que o parceiro sexual se submeta também aos exames e tratamentos;

- Jamais interromper o tratamento antes do final, mesmo que os sinais e sintomas tenham sumido. A doença pode ficar incubada e dar uma falsa impressão de cura;

- Evitar relações sexuais durante o tratamento, no caso de não poder evitar, usar preservativo.

- Recorra a assistência espiritual com Jesus, buscando reforma íntima e educação da conduta social.

 

Como usar corretamente o preservativo

 

A camisinha é a maneira mais fácil e mais eficiente de impedir o contato com o sangue, esperma e secreção vaginal, evitando a transmissão de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e da aids. Deve ser usada sempre, em todas as relações sexuais, desde o começo.

Camisinha Masculina

Verifique sempre a data de validade na embalagem e para guardá-la, prefira locais frios e secos. Deixá-la por muito tempo na carteira, por exemplo, pode danificá-la.

Abra a embalagem com cuidado - nunca com os dentes - para não furar a camisinha.

Coloque a camisinha somente quando
o pênis estiver ereto.

 

Desenrole-a
até a base do pênis, mas antes aperte a ponta
para retirar o ar.

Só use lubrificantes à base de água, evite vaselina e outros lubrificantes
à base de óleo.

Após a ejaculação, retire-a com o
pênis ainda duro, fechando com a
mão a abertura
para evitar que o esperma vaze da camisinha.

 

Dê um nó e
jogue-a no lixo. Nunca use a camisinha mais
de uma vez.

Camisinha Feminina

Verifique sempre a data de validade na embalagem e para guardá-la,
prefira locais frios e secos.

Para colocar a camisinha encontre uma posição confortável. Pode ser em pé com um pé em cima de uma cadeira; sentada com os joelhos afastados; agachada ou deitada.


Segure a argola menor com
o polegar e o indicador.

 


Aperte a argola e introduza
na vagina com o dedo indicador.


Empurre-a com
o dedo indicador


A argola maior fica para fora da vagina, isso aumenta a proteção.

Depois da relação, retire a camisinha torcendo a argola de fora para que o esperma não escorra e jogue-a no lixo. Nunca use a camisinha mais de uma vez.

Mais detalhes acesse www.aids.gov.br

Dúvidas ou perguntas envie um e-mail para [email protected]

 

< Voltar