PRECE À BEZERRA DE MENEZES



Quem me dera compor em versos nobres

Ardente prece de agradecimento

E que fosse alcançar no firmamento

O coração do Médico dos Pobres!...



Sou feliz, ó Bezerra, quando cobres,

Com as bênçãos do teu medicamento

Na proporção que Deus permite que obres,

A chaga mais atroz do meu tormento...



Que te sejam, Bezerra de Menezes,

Redobradas as forças muitas vezes

Para lenir a dor de quem padece...



E recebe de um simples sonetista 

A humilde vibração de espiritista

Nas mal traçadas rimas desta prece!...


Celso Martins



<- Voltar