Poesia 1

Espírito Luiz de Camões
Médium Bittencourt Sampaio



Cansada desta vida transitória

Minh`alma adormeceu entre gemidos,

Embalada nos doces prantos fidos

De quem bem mais do que eu merece glória.



Oh! Meu Jao, tu que sabes minha história

Daqueles desditosos tempos idos,

Vem dar-me à idéia, pois, esses pruridos

Que me fogem pra sempre da memória.



Do batismo do amor saíste puro

Em meio desses hinos sacrossantos

Dos anjos do Senhor cheios de luz.



Enquanto que eu, com vistas no futuro,

Do mundo recebendo aplausos tantos,

Carregando inda vou a minha cruz. 



Fonte Revista Reformador Março 1975 

Artigo de Gilberto Campista Guarino




<- Voltar