Nuvens de Sentimentos

Poesia ganhadora do concurso literário promovido pelo Núcleo Espírita Rosa dos Ventos - Portugal


Na nossa vida
Passam várias nuvens
A nuvem da felicidade
A nuvem da tranqüilidade
A nuvem da angustia 
Da perda
Do crescimento
Da compreensão 

A nuvem da perda
Por mais incrível que seja 
É a melhor da nuvens que tem
É com ela que a gente adquire as outras nuvens
As perdas podem parecerem ruins 
E de fato são
Quando a gente perde um ente muito querido 
Dói demais

Com a
nuvem da perda vem 
A nuvem da angustia 
A angustia é uma coisa que nos sufoca
Nós temos vontade de embarcar numa nuvem escura 
E não sair mais

Com a nuvem da angustia vem 
A da compreensão 
Essa nuvem é uma das que mais demora para chegar
Pois é muito difícil aceitar, compreender que a gente está 
sem essa pessoa
Tão querido 
Uma pessoa que nos ajudava tanto e que achávamos que não 
viveríamos sem ela
Até que vemos que não é bem assim
Mas, como diz o poeta:
“A vida segue sempre em frente, o que se há de fazer”

A nuvem da compreensão nos traz a nuvem da tranqüilidade
Muita gente confunde a nuvem da tranqüilidade
Com a da felicidade
São nuvens completamente diferentes 
Tranqüilidade é uma coisa muito difícil de adquirir 
Pois, não depende só de nós 
Também depende de pessoas em nossa volta 

As nuvens da felicidade e do crescimento andam juntas
A felicidade é quando a gente atingiu um ponto extremo 
Da compreensão do entendimento, disso a gente consegui ver o 
quando a gente cresceu 
A perda, a angústia, são nuvens passageiras
Ela demora pra passar,
Em compensação nos dá toda a felicidade e o crescimento em 
dobro


Eliza Desisério César Bento



<- Voltar