MAGNA DOR

ANTHERO DE QUENTAL

Interroguei ansioso a Dor um dia:

- “Quem te enviou cruel à nossa estrada?

Por que buscas a vida acorrentada

Aos tormentos da sombra e da agonia?!



Certo, emerges da noite espessa e fria,

Em que nunca aparece a madrugada...

Vens do abismo de boca escancarada

Onde a angústia das trevas não tem dia...”



Mas a Dor respondeu: - “Cala-te e lida!

Eu sou a inesperada luz da vida,

Não procures o bem no campo inverso!



Ouve! sem meu luzente archote errante

O homem – cansado e mísero viajante –

Viveria sem rumo no Universo.”



Chico Xavier - Livro – Estrelas no Chão

<- Voltar