FÉ EM DEUS SEMPRE

Por mais cruel que seja a dor que te amargura

O sofrido viver, em lágrimas banhadas,

Jamais te julgues só, na triste senda escura

Sem o amparo de Deus, o Criador Amado!

Aquilo que supões não ter alívio ou cura,

Se transforma em saúde, em dia inesperado

Se souberes lutar, vencendo a desventura

Na oficina do Bem de um sonho alcanforado!

Que tu choras, eu sei... Eu sempre te acompanho

E se mesmo com fé junto a ti não me vejas,

És do meu coração vivendo em meu rebanho!

Não descreias jamais!... Prossegue esperançoso

Estribado na prece onde quer que estejas

Pois te reserva o Pai um porvir venturoso!

(Soneto alexandrino escrito dentro de um ônibus em 18/9/95)

Celso Martins



<- Voltar