HISTÓRIA DE DONA AMÉLIA

 

Conheci Dona Amélia na fazenda

- Dona Amélia Maria Liberata –

Linda e rica mulher, mas rude e ingrata,

Sempre altiva, no estrado de ouro e renda.

Deixava o pão mofando preso à lata

E gritava: “Ninguém me desatenda”.

Procurava conflitos de encomenda

Para zurzir os servos na chibata...

Mais tarde veio a morte... A nobre dama

Padecia o remorso como a chama

Quando o fogo se apega à carne nua.

O tempo voa... E agora, reencarnada,

Vejo-a sozinha, triste e desprezada,

Esmolando socorro em cada rua.

 

CORNÉLIO PIRES

Chico Xavier - Livro – Estrelas no Chão

 

< Voltar para a página anterior