A PRECE

ANTHERO DE QUENTAL

Sob o guante da treva, o Homem gemia:

- Senhor, a carne é a minha sepultura!

Por que a jornada tormentosa e escura

Em que sofro o rigor da ventania?



Padeço, errante, a imensa noite fria

De aflição, desconforto e desventura...

Alivia-me as chagas de amargura,

Socorrendo-me a senda de agonia!...



Respondeu-lhe o Senhor: - Espera e ama!

Receberás do Céu Sublime Chama

Para a angústia revel que te domina!



E deu-lhe a Prece por brilhante estrela.

Desde então, o Homem, forte e calmo, ao tê-la,

Seguiu da sombra para a Luz Divina.



Chico Xavier - Livro – Estrelas no Chão

<- Voltar