ESTAMOS PERTO DO APOCALIPSE ?

 

0 "FINAL DOS TEMPOS" SERÁ 0 MEIO QUE PERMITIRA 0 EXPURGO DE ESPÍRITOS PRIMITIVOS E 0 SURGIMENTO DE UMA CIVILIZAÇÃO MAIS EVOLUÍDA NA TERRA.

 Ariston Teles

 Entrevista realizada em 1998 no canal IRC Espiritismo

 

O futuro pode ser colocado em linhas gerais, mas não é possível prejulgar com relação ao setor da interferência divina. 0 que você pode nos dizer a respeito dessas colocações sobre previsões?

Ariston Teles — Concordo com o que está exposto, entretanto, não se pode deixar de reconhecer a veracidade do fenômeno profético. Existiram e existem pessoas que tem a capacidade de sintonizar as ondas do futuro, antevêem fatos como se simplesmente eles estives­sem vendo algo do presente.

Será fundada uma nova religião como nunca houve, a qual reformará a Igreja de Deus. Só o futuro é que poderá elucidar os homens acerca de tão alta missão de Portugal no mundo”. Na época em que São Francisco de Paula fez esta afirmação, o Brasil ainda não havia sido descoberto. Poderia ele estar se referindo ao nosso país e ao Espiritismo?

Ariston Teles — Não é fácil, a esta altura dos aconteci­mentos, admitir que a Igreja Católica retome sua missão verdadeiramente cristã junto a humanidade. Tudo tem seu momento e acreditamos que o ciclo histórico da Igreja Católica está se encerrando. Temos hoje um grande ciclo de curta duração, marcado pela presença e pela expansão das igrejas evangélicas, que exploram a crise existencial pela qual passa a humanidade. Porém, após essa crise generalizada, os povos estarão emadurecidos para entender e vivenciar a revelação universal dos espíritos. 0 novo ciclo pertencerá, portanto, ao Espiritismo, mesmo porque se trata de urna doutrina não sectária, fundamentada na ciência.

A ultima data marcada na pirâmide de Queops é 2001. Isso indica que será o começo de uma nova era, profetizada pelos egípcios?

Ariston Teles — A profecia dos egípcios, ou melhor, dos capelinos, escrita no calendário de pedras da pirâmide de Queops, é das mais sérias e significativas. Estamos vivendo hoje na antevéspera de um abismo realmente colocado por aqueles homens no ano de 2001. Sugiro a leitura do livro profecias, de Pietro Ubaldi.

“Eu vim ao mundo em nome de meu Pai e vós não me recebestes. Um outro virá em seu próprio nome e vós o recebereis”. Ao dizer isto, Jesus se referia a um suposto “anticristo apocalíptico”?

 Ariston Teles - É possível que Cristo, com estas palavras, tivesse feito referenda à imagem do anticristo. Aliás, consideramos corno anticristo a força ou a manifestação do mal que se espalha atualmente pelo mundo. Se houvéssemos respeitado a mensagem de Jesus, o apocalipse seria evitado. Mas este é um grande batismo de dor, necessário para a reeducação da humanidade.

Como a doutrina espírita explica o “final dos tempos” e as parábolas do apocalipse?

Ariston Teles — Não temos possibilidades de interpretar conclusivamente as visões do evangelista João. Entretanto, existe um consenso segundo o qual o médium de Patmos previu grandes acontecimentos na história da humanidade, fatos estes que teriam seu desfecho no final do século XX.

No livro Grandes Mensagens, Pietro Ubaldi transcreve esta mensagem: “‘Se vos falasse com minha voz potente, não me entenderias. Meu olhar contempla a Ter­ra quando ainda não a habitava e também a vê morta no futuro distante, a navegar no espaço como um ataúde de todas as vossas grandezas. Vejo vosso sol moribundo, depois morto e, em seguida, chamado a uma nova vida”. Considerando a lei da evolução, mesmo que a bíblia afirme que “‘os mansos herdarão a Terra”, é possível que o final dos tempos ocorra para os terráqueos. Coma você analisa essa questão?

Ariston Teles -  O final dos tempos significa o término de um ciclo histórico planetário, não quer dizer que o planeta será extinto. Já estamos vivendo dentro desse fenômeno cósmico, a Terra está sendo higienizada. Os maus elementos serão levados para mundos mais atrasados e permanecerão na Terra os espíritos mansos e pacíficos. E preciso entender que o planeta obedece a um planejamento cósmico. 0 próprio Kardec previu que a Terra seria promovida à categoria de “mundo de regeneração” e estamos na iminência dessa mutação. Por­tanto, o chamado apocalipse é um fenômeno coletivo necessário ao processo da evolução global.

Existe alguma instrução da espiritualidade sobre os fenômenos que ouvimos dizer que estão para acontecer neste inicio de milênio?

Ariston Teles — Ramatis, Pietro Ubaldi, Bittencourt Sampaio, Emmanuel, Joanna de Angelis e Bezerra de Menezes, entre outros, falam claramente sobre a gravidade do momento atual. Eles preferem usar uma linguagem parcimoniosa, evitando nos amedrontar, mas não escondem a realidade. Dizem que nós devemos permanecer na aura luminosa do evangelho de Jesus, pois ele é a tábua de nossa salvação.

A Igreja Católica vem se sustentando ha quase dois mil anos. Você acredita que ela poderá se adaptar aos no­vos ventos do Espiritismo e abraçar esta nova mensagem como sendo sua, para ficar novamente por cima? 

Ariston Teles - É uma boa pergunta. Acredito que os novos católicos estarão preparados para assimilar as verdades cientificas do Espiritismo. Ao incorporar os ensinamentos da espiritualidade superior, a Igreja Católica deixará sua velha estrutura, será algo de novo.

O livro O Fim do Mundo, de Camille Flamarion, fala sobre uma ameaça celeste, choques com cometas etc. Você concorda com as versões que constam na obra?

Ariston Teles — Camille Flamarion era cientista e tam­bem poeta e ficcionista. Nem tudo o que ele escreveu neste livro deve ser tornado corno se fossem colocações cientificas, pois muita coisa pode ser fruto de sua imaginação literária.

O final dos tempos deve ser entendido como o término da expiação terrestre e um passo para a evolução planetária ?

Ariston Teles — Exatamente. O planeta está em vias de alterar o rumo de sua história, quando nascerá uma nova e verdadeira civilização em meio aos escombros do apocalipse. As pessoas que hoje vivem na “onda de Deus” sobreviverão e serão os prováveis cidadãos do terceiro milênio.

Em sua opinião, a Terra seria uma segunda Capela?

Ariston Teles— Sim, nosso apocalipse é semelhante ao que aconteceu naquele mundo. A maior prova de tudo o que foi previsto está nos fatos da atualidade. As manifestações do mal estão chegando ao extremo. Por exemplo: 45 milhões de abortos criminosos são praticados anualmente no mundo; 250 milhões de armas estão nas mãos da população americana; os grandes países responsáveis pela poluição do planeta não querem acordo, preferem continuar multiplicando produtos para abastecer e saturar a humanidade, fazendo crescer o buraco na camada de ozônio sob os ímpetos da ganância e do materialismo; nunca houve tanta produção de alimentos ao mesmo tempo em que também nunca houve tanta miséria; em Medellín, na Colômbia, são assassinadas 70 pessoas em cada final de semana e em São Paulo são registrados 50 homicídios no mesmo período. E por ai vai. Problemas dessa dimensão se espalham por toda parte, sem perspectivas.

Para onde irão esses espíritos que serão renegados da Terra? A matéria desse suposto planeta seria muito mais densa que a da Terra?

Ariston Teles — Sabe-se que estes espíritos atrasados serão atraídos por um planeta de passagem pelo espaço próximo à Terra, o chamado “planeta intruso”. Quanto à densidade desse planeta, a forma material ou a constituição dos mundos corresponderá ao seu respectivo nível de evolução.

Nostradamus fez uma quadrinha onde rezava: “Quando Jorge a Deus crucificar e Marcos o ressuscitar, São João tão logo levará e o um do mundo virá”. Você acre­dita nas profecias dele quanto ao fim do mundo na forma como ele a via?

Ariston Teles — Nostradamus, que nasceu na Franca em 1503, era medico, médium e astrólogo. Suas centúrias foram escritas de maneira pouco inteligível, pois ele viveu na época da inquisição e os médiuns que falassem claramente de suas experiências eram levados à fogueira. Por isso, não é tão fácil interpretar as previsões deste grande profeta. Todavia, os próprios espíritos falam de Nostradamus com absoluto respeito.

Ao longo de uma existência terrena de mais ou menos 80 anos, é possível perceber a mudança de ciclo, o “final dos tempos”?

Ariston Teles — Todos podemos perceber o final do ciclo a que nos referimos. Concomitantemente, um novo ciclo está se abrindo. Neste exato momento, podemos verificar o grande conflito entre o velho e o novo, como, por exemplo, a existência de milhares de crianças que possuem naturalmente uma nova consciência. Elas são integrantes desse futuro que já começou.

O apocalipse acontecerá de forma abrupta ou o que passa hoje com a humanidade já faz parte dele?

Ariston Teles — Na verdade, já estamos dentro do apocalipse, resta apenas alguma coisa de maior impacto, que possa sacudir a consciência da humanidade. Entretanto, a onda avassaladora dessa mutação ai está, ternos hoje uma necessidade urgente de manter o coração e a mente na dimensão luminosa da fraternidade. Jesus tinha razão quando disse que “aquele que perseverar ate o fim será salvo”.

 < Voltar para a página anterior