Partes da carta Psicografada por Francisco Xavier, endereçada à esposa do Sr. Carlos Gomes.

Carlos Gomes - Desencarnado aos 62 anos de idade, vitimado por atropelamento em São Paulo.

" . . . Entendo que você não saberá guardar rancores contra ninguém. Digo a você que, após o choque, não foi fácil para mim o despertar do sono que me imobilizou todas as forças. Caí na rua, de corpo descontrolado e, em momentos rápidos, a memória me fugia, qual se fora minhas energias a se me afastarem do corpo. Quanto tempo decorreu deste intervalo, não sei, por enquanto, dizer. 

Via-me anestesiado e inerte, mas, por dentro de mim, tudo era um pesadelo que não sei descrever. Até que enfim, acordei, sob a proteção de meu pai José Gomes, num quarto agradável de hospital ou Casa de Repouso. Ver meu pai junto de mim era a revelação de tudo quanto me ocorrera e, não obstante confortado com aquela presença querida, não pude evitar as lágrimas ao reconhecer que a deixara sem qualquer preparação. Tudo é novo para o seu Carlos. 

Estou contente por transmitir-lhes as presentes palavras porque a minha inquietação para acalmá-la em mim, tem sido efetivamente muita. Agora, peço-lhe muita fé e paciência para resolvermos devagar as questões que ficaram e as que vão aparecendo. Não se aprece em resolução alguma. Espere minhas melhoras mais positivas para pensarmos com mais segurança quanto ao futuro. Farei o possível para que você encontre uma reunião de senhoras que estudem e façam o bem, em nossa prática de amor ao próximo, onde consiga vê-la mais animada para a vida. Por agora, é, tão somente, o "Alô" que lhe desejava entregar. Do seu Velho, sempre o seu esposo de alma e coração . . ."

 

< - voltar à página anterior