Méritos no Tempo

O depoimento abaixo transcrito, na íntegra, é de especial amiga de Curitiba-PR, ativa colaboradora do Centro de Cultura e  Documentação Histórica Espírita Eduardo Carvalho Monteiro – de preservação e resgate da memória espírita –, que pelos méritos do homenageado levamos ao conhecimento dos leitores:

     Conhecemos um Homem que ficou entre nós 55 anos... Ele agora voltou “para casa”.  Voltou para amigos com os quais ele conviveu , biografou , contou estórias e reverenciou.

  Dedicou  a maior parte de sua vida neste plano, a buscar, a pesquisar tudo que dissesse respeito a Historia do Espiritismo. Para essa busca incansável, não poupou  esforços, economias, tempo e sempre com uma vontade inquebrantável...

     Falava de Chico Xavier de uma maneira tão intensa que chegava a nos comover, pelo amor que ele lhe dedicava.

     Admirava Divaldo Pereira Franco e nutria com ele, o maior respeito.

       De caráter firme, irremovível em suas posições, de sorriso difícil, mas sempre com olhar doce e carinhoso , contestava , discutia, e exigia dos seus colaboradores a perfeição... Ele também exigia de si mesmo para que seus trabalhos fossem da melhor qualidade.

      Convivi com esse homem, muitos anos. Dias e dias , de trabalho , digitando, revisando , traduzindo os textos da França, da Espanha e, da Inglaterra, que ele conseguia em suas buscas... Tudo sempre muito  criticado, revisado. A qualidade, a perfeição era uma de suas metas. Agradeço muito a essas criticas... ajudou-me a aperfeiçoar meu humilde trabalho

     De cada nova idéia, era um livro que surgia. Um vulto que se destacara pelo seu trabalho junto a Doutrina espírita, iria ter sua história contada.

   Não posso me esquecer de algumas  de suas frases. ““. Precisamos entrar na faixa mental de quem estamos tratando ... “ele certamente nos auxiliará do Mundo Espiritual”; Há muito que contar... Há muito que procurar. A Historia da Doutrina Espírita é de luta, feita com  e por heróis anônimos, cabe a nós torna-los conhecidos.”

  Alguns desses “heróis, “ teve sua história por ele contada. Chico Xavier, Batuíra , Jesus Gonçalves, Vinicius , Cair bar Schutel , Olympio Telles de Menezes,Anália Franco,  Everton de Quadros, Bezerra de Menezes  a quem ele dedicava um carinho especial...  Não mas ficou por ai... Os europeus não poderiam ter sido esquecidos... Allan kardec , O Druida Reencarnado , livro que ele considerava como sendo uma de suas melhores obras, Leon Denis , seu mentor espiritual  .. E outros tantos que mereceram o uso de sua pena.

  A Maçonaria, sua outra paixão, também foi tema de alguma de suas obras.

    Quando ainda internado após o inicio dessa doença, contava aos que o visitava o maravilhoso fenômeno, chamado pelos cientistas de EQM ( fenômeno de quase morte), pelo qual passou e que veio a confirmar mais uma vez, a este Homem tão dedicado a sua crença espírita, a existência do Mundo Espiritual...

     Sua preocupação com o trabalho, com os seus  objetivos não foram  deixados de lado  um só momento, mesmo acometido por dores e sofrimentos próprios da doença...

 Não posso afirmar que ele tivesse  conhecimento de sua partida próxima, mas de alguma coisa ele sabia. Deixou-nos uma série de atribuições. Não podemos parar.... a missão continua.

    A sua partida merece de cada um de nós, seus amigos, colaboradores, uma reverência... Reverência essa que faremos continuando seu trabalho e buscando sempre... A História do Espiritismo, dificilmente terá outro  buscador (termo que ele  muito usava) como  um Homem chamado - Eduardo Carvalho Monteiro.

                                        Emilia Aparecida dos Santos Coutinho.

            Igualmente conheci Eduardo. Convivemos pessoalmente muito pouco, mas sempre trocávamos e-mails e telefonemas. Seu esforço histórico de preservação da memória e história espírita é notável. Realmente a querida Emília foi muito feliz em seu texto homenagem. Pelos méritos do amigo Eduardo, fazemos nossas as palavras de Emília. O movimento espírita muito ganhou com a presença de Eduardo. Seu esforço não foi em vão. Hoje, o Centro de Cultura e Documentação Histórica, que leva seu nome, reúne precioso acervo de livros, documentos, fotos, registros, depoimentos e outros arquivos de registro histórico, todos de reconhecido valor emocional – em virtude das lutas e conquistas que significam através do tempo –, que contam os degraus de conquistas do movimento espírita nacional e internacional.

            Ora, convenhamos que um acervo histórico não representa apenas conquistas humanas. Ele é, quase que exclusivamente, o resultado da inspiração dos espíritos e do esforço de homens e mulheres que lutaram para que a mensagem espírita se tornasse conhecida e vivida. Basta que se visite hoje qualquer instituição espírita e se busque pesquisar suas origens para nos depararmos com uma história rica de ideais e lutas.

            Pelo valor extraordinário de nossa querida Doutrina Espírita, cremos que não é preciso acrescentar mais nada. Convidamos o leitor a reler a homenagem de nossa querida Emília


< Voltar