Na luz da inspiração


            Uma doce e suave voz! Letras belíssimas, encantadoras. Música selecionada, em arranjos de muito bom gosto. Ah! Que tesouro!

            Escreveu ela, a autora, no álbum impresso que acompanha  o CD: “Ao longo dos anos, a inspiração me visitou, deixando canções e mensagens que me enlevaram a alma. Algumas delas cheguei a cantarolar ou publicar, aqui e ali, no movimento espírita,, mas não as divulguei tanto como talvez o desejassem os seus autores espirituais. Somente agora, graças ao concurso do Ulisses, com seu conhecimento musical e laboração amiga, venho partilhar com você, que ouvirá este CD, o enlevo que me causaram estas composições, recebidas Na Luz da Inspiração – que é o nome do CD – (...)

            Igualmente as músicas, as letras, a doce e suave voz, repito, também me causaram momentos de muito enlevo. Por isso não posso deixar de recomendar aos prezados leitores.

            E como a autora citou o conhecimento musical de Ulisses Vedovello, permito-me resumir, parcialmente, os comentários sobre os arranjos musicais (constantes do álbum acima referido), para que o leitor tenha conhecimento prévio do belo trabalho que somou as letras, a voz e, obviamente, as lindas músicas que trarão momentos de muita suavidade e paz ao lar e à intimidade do ouvinte.

            Na faixa 1 (Como a ti mesmo), à melodia carinhosa, semelhante a uma modinha, há o acréscimo do som do clarinete, da flauta e do violão; na faixa 4 (A chuva e a dor), ao som real da chuva, uma melodia se impõe em crescente emoção; na faixa 7 (Eleva tua voz), sentiremos uma grande felicidade após ouvir a linda valsa, que uma grande orquestra acompanha. Minha faixa preferida, a de número 10 (Todos irmãos), que ensinei meu sobrinho Vergílio a cantar, misturam-se vozes infantis, corais adultos, piano e orquestra, sempre em crescente colocação, enfatizando o sentido do título.

            Porém, a faixa 2 (Bem-aventuranças), interpretando o Sermão do Monte, é extraordinária na sintonia que estabelece com os ensinos de Jesus e no ambiente fluídico que proporciona. Igualmente destaco a maravilhosa faixa 16 (Que Bom que Vieste, Jesus!), que se constitui num autêntico cântico de gratidão e amor ao Mestre de nossas vidas; inclusive a tenho utilizado no final de algumas palestras, cujos temas ensejam o uso.

            Claro, não poderei comentar todas as 16 faixas. É impossível, pois isto demandaria muitas linhas. O que quero mesmo dizer é que o CD é uma preciosidade, para reflexão, paz e harmonia interior. Nos sentimos envolvidos por sentimentos de esperança, de alegria, de amor autêntico que envolve a todos nós. Que bom! Felizmente, ao lado de tantas dificuldades no planeta, há igualmente um sem número de iniciativas que elevam e promovem a serenidade.

            Ideal, vez por outra, que introduzamos uma ou outra faixa, a escolher, em palestras ou reuniões de estudos. Pelo ambiente que proporciona aos participantes e presentes, pela reflexão e sintonia superior que produz. Todos seremos beneficiados pela grandeza do trabalho produzido.

            Recomendo aos leitores com muita ênfase, seja pelo bom gosto do trabalho, seja pelo bem estar que as canções vão causar ao coração daqueles que as ouvirem. Muitas vezes, ouvindo no carro, emociono-me às lágrimas com a suavidade das faixas e grandeza dos ensinos que transmitem.

            Depois de tudo isso só falta dizer o óbvio, já de conhecimento do leitor: a autora é Therezinha Oliveira, exponencial trabalhadora de nosso movimento espírita; autora com consagrados livros publicados, expositora modelar, respeitada amiga de Campinas.

            Realmente a Doutrina Espírita é capaz de inspirar tais sentimentos, tais pérolas doutrinárias, que tanto bem nos fazem. Estão de parabéns nossos amigos Therezinha e Ulisses, a Editora Allan Kardec e todos os que colaboraram na produção do CD. Aos amigos que inspiraram nossa querida Therezinha, a gratidão de todos nós.

            Meus amigos que lêem estas linhas: não deixem de se beneficiarem com a grandeza dessas lindas melodias. Levem-nas para a intimidade de seus lares, divulguem-nas quanto puderem. Estaremos todos levando muitas alegrias e emoção aos corações.